A vida em contato com a natureza: Reserva de Piedade

Novo empreendimento da Gran Viver em parceria com a MIP Edificações foi lançado recentemente em Brumadinho. Um lugar em que a exuberância da natureza fará parte do cotidiano de cada morador. Esse é mais um lançamento da Gran Viver Urbanismo em parceria com a MIP Edificações. Chamado de Reserva de Piedade, o residencial fechado terá 303 lotes com área a partir de 1.000 m² e contará com infraestrutura completa, além de praças temáticas integradas às matas nativas, interligadas por trilhas e circuitos de caminhada, com sinalização desenvolvida pela Hardy Design, criando espaços harmoniosos para o morador. Assinado pela Mach Arquitetos, o projeto arquitetônico se destaca por trazer um conceito único para a região de Casa Branca/ Brumadinho. “O Reserva de Piedade realça a essência da região em que está localizado, buscando incentivar um estilo de vida despretensioso e desacelerado, possibilitando o contato direto com a natureza e com a família”, explica Mariza Machado Coelho, responsável pelo projeto arquitetônico do residencial. Todo esse conceito é demonstrado nas praças temáticas e deck que serão interligados pelas pistas de caminhada. Essas praças valorizam a beleza intrínseca da região, criando espaços para leitura, para brincar com as crianças, fazer piquenique, deitar na rede e fazer atividades físicas ao ar livre. A diretora de produtos da Gran Viver Urbanismo, Graciela Barcelos, explica que o Reserva de Piedade é verdadeiramente uma reserva natural. “Essas áreas são uma extensão da natureza local, não sendo necessárias grandes intervenções paisagísticas para criar espaços de convívio aconchegantes e agradáveis para passar o tempo com a família e amigos.”, explica. Além do paisagismo, outro destaque do residencial é o projeto da portaria que traz um desenho ritmado em madeira e aço, associado a outros elementos naturais e marcantes na região de Piedade do Paraopeba.  “A arquitetura da portaria harmoniza charme e segurança, associadas aos outros conceitos do projeto arquitetônico”, finaliza Mariza Machado Coelho.1010